Cauê deixa Governo de Edvaldo para cuidar de campanha. Será a de Belivaldo?

Por: Folha de Sergipe - Slide - 23 de Janeiro de 2018 - 9:49 - Sem Comentários

O jornalista e marqueteiro político Carlos Cauê pediu demissão do cargo de secretário municipal de Governo da Prefeitura de Aracaju para dedicar-se às atividades de marketing eleitoral que este ano de 2018 exige.

Carlos Cauê deve cumprir a sua agenda na Secretaria até a quarta-feira da semana que vem, dia 31 de janeiro. Para pedir exoneração, ele alegou que vai trabalhar na construção de uma campanha eleitoral.

Mas não informou especificamente a qual delas se integrará. Esta coluna apurou que ele tem convite de fora de Sergipe, mas é quase um consenso de que vai trabalhar nas campanhas de Belivaldo Chagas e de Jackson Barreto ao Governo do Estado e ao Senado, respectivamente.

Há 30 anos exatos, Carlos Cauê é quase a real cara do marketing político-eleitoral deste grupo político que faz sucessivos prefeitos de Aracaju e governadores de Sergipe. Mas sobre o momento presente e seus desdobramentos, ele “deliberou” “não comentar o assunto agora”. Nãos seja por isso.

O trabalho de Carlos Cauê nessa seara começa em 1988, com a campanha vencedora de Wellington Paixão à Prefeitura de Aracaju, já sob Jackson Barreto. Em 1990, lá estava ele no amparo à candidatura imberbe de Zé Eduardo Dutra ao Governo de Sergipe, na primeira derrota para João Alves frente ao acordão Albano-João-Valadares.

Em 1992, o marketing dele ajudou eleger Jackson Barreto prefeito de Aracaju. Em 1994, foi à lona com a derrota de Jackson Barreto para Albano na disputa pelo Governo. Dois anos depois, 1996, contribuiu para eleger João Augusto Gama prefeito de Aracaju numa eleição de segundo turno com Ismael Silva, PT. Perdeu de novo com Jackson em 1998 numa disputa pelo Senado, na aliança que JB fez com Albano Franco para o Governo, mas obteve “meia” vitória com o desempenho albanista.

A partir do ano 2000, Carlos Cauê entra num círculo virtuoso e faz ali Marcelo Déda prefeito de Aracaju, perde em 2002 o Governo do Estado, de novo, para João Alves Filho com José Eduardo Dutra, e reelege Déda prefeito em 2004. Faz de Déda governador em 2006, reelege Edvaldo Nogueira prefeito de Aracaju em 2008 e reelege Déda governador em 2010.

Em 2014, o trabalho de marketing político de Carlos Cauê leva Jackson Barreto ao Governo de Sergipe, e em 2016, elege Edvaldo Nogueira prefeito da Capital, numa rumorosa campanha na qual muitos davam por certa a vitória de Valadares Filho.

Carlos Cauê é alagoano. Mas mora em Sergipe há mais de 30 anos, onde fez seus estudos superiores, e traz consigo a vantagem de conhecer profundamente a política e os políticos do Estado.

Ele é contista e poeta, com livros lançados nestas duas áreas, e ainda escreve para teatro. No fundo, é um sujeito humilde, modesto, que pouco ou quase nada se arroga diante do currículo e do talento que dispõe e exerce na esfera do marketing político.

 

 

http://jlpolitica.com.br/coluna-aparte/carlos-caue-deixa-governo-de-edvaldo-para-cuidar-de-campanha-sera-a-de-belivaldo

Deixe seu comentário!

Para: Cauê deixa Governo de Edvaldo para cuidar de campanha. Será a de Belivaldo?