O suplente de vereador e pré-candidato Alexsandro da Conceição, o “Palhaço Soneca” como é conhecido, viveu momentos de terror nas mãos de três guardas municipais que de forma truculenta o espancaram na manhã desta segunda-feira (16), dentro do Centro Administrativo de Aracaju.

Em entrevista à redação do FAXAJU, “Soneca” contou que esteve em companhia de seu irmão no centro administrativo, onde havia agendado uma reunião com a senadora Maria do Carmo, que o aguardava, porém os guardas municipais além de impedirem a sua entrada, ainda o espancaram barbaramente, chegando a ameaçá-lo de morte.__________8884

Soneca conta que por volta 09:30 horas de hoje, ao chegar ao Centro Administrativo em companhia do irmão, havia no local um grupo de pessoas fazendo manifestação. “Assim que me aproximei com meu irmão, nós fomos abordados por um guarda que disse estar de olho em mim. Em seguida eu me apresentei dizendo que era suplente de vereador e pré-candidato, mas mesmo assim eles me agrediram”, contou Soneca.

Espancamento – o suplente de vereador afirma que como o irmão foi impedido de entrar, na prefeitura, ele avisou a secretaria da senadora que retornaria outro dia, porém na saída, ele foi abordado novamente e ai foi barbaramente espancado por três guardas que o algemaram e o levaram para uma delegacia.

Agressão – Soneca conta que tudo começou quando na saída, um dos guardas lhe disse “estou de olho em voce”. “ai eu respondi para ele que eu não era vagabundo e mais uma vez me apresentei dizendo para eles terem calma. Ai eles começar a gritar e me deram um tapa no rosto e eu estava com um copo de café e ai perdi a cabeça e joguei o café neles. A partir dai foi muita pancada. Mas o pior foi dentro da viatura porque lá dentro me bateram muito, me chamaram de V.., FDP, safado e o pior, que eu sou um palhaço de merda”, reclamou Soneca acrescentando que “um deles que estava com uma arma na minha cabeça me disse para eu dizer qualquer coisa que ele tinha 12 balas para meter em minha cabeça”, contou.

Após ser liberado, Soneca, em companhia do advogado Thieryson Santos, foram até um hospital para receber atendimento médico, já que há suspeita de fratura no pulso.

Em seguida, Thieryson e Soneca irão à procura do Instituto Médico Legal para fezer exame de corpo de delito.

Munir Darrage